sexta-feira, 27 de maio de 2011


Os Celtas

Os celtas eram um povo antigo, de origem indo-européia. Entre os séc. V e III a.C, estabeleceram-se na Europa, especialmente nas Ilhas Britânicas.

Os celtas estiveram presentes em praticamente todo o continente europeu, que possui fragmentos de sua cultura. O seu habitat inicial era o sudoeste da Alemanha, Europa ocidental e central. Com o domínio da agricultura, tecnologia na cerâmica e no bronze, ao longo de séculos, eles invadiram França, Espanha, Tchecoslováquia, sul da Alemanha, Áustria e grã- Bretanha. A sua história se estendeu por cerca de dois mil anos (de 1800 a.C. até o final do século I d.C.). A partir de 660 a.C., invadiram a Península Ibérica e, até a metade de século II a.C., expandiram-se para Ucrânia, Grécia, Ásia Menor, Gália e grande parte da Itália.

Aquele povo nórdico mantinha uma vida simples se comparada com a do mundo civilizado atual, e primava pela utilização das forças telúricas em todos as suas atividades, expressas basicamente através de ritos divinatórios.

Consideravam a natureza como a expressão máxima da Deusa Mãe, cuja manifestação era a natureza, por isso na sociedade celta, embora não fosse matriarcal, a mulher era soberana no domínio das forças.

Na realidade, a corrente migratória atlante direcionada para a Europa Ocidental não primou pelo desenvolvimento tecnológico. Ela não deu prosseguimento, por exemplo, à utilização e ao desenvolvimento da ciência dos cristais como fonte de energia. Preferiram a utilização da energia inerente aos canais das forças telúricas mais simples.

Os celtas entendiam que a terra comporta-se como um autêntico ser vivo, que nela a energia flui tal como nos meridianos de acupuntura de uma pessoa. Eles sabiam bem como se utilizarem de meios de controlar essa energia em beneficio da vida, das colheitas e da saúde.

O grande desenvolvimento dos celtas foi no campo de como manipular a energia sem o envolvimento de tecnologia alguma, somente através da mente. Enquanto outros descendentes da Atlântida usaram instrumentos, os que migraram para o oeste europeu, dos quais bem tardiamente surgiu como civilização celta, usaram apenas pedras, na maioria das vezes sob a forma de dolmens ou de menires.

Geralmente pedras eram usadas como meios para o desvio e canalização de energia. As construções megalíticas eram condensadores e drenadores de energia telúrica. Com elas os descendentes da Atlântida criavam vórtices nos canais de força telúrica, desviando-a para múltiplos fins.

Os Celtas chegaram a ter pleno conhecimento de que as forças telúricas podiam ser controladas pela mente, que a energia mental interagia com outros campos de forças, e que a energia mental podia direcionar os canais, ou até mesmo gerar canais secundários de força. Sabiam o que era a energia sutil, e que podiam aumentá-la de uma forma significativa mediante certos rituais praticados em lugares especiais. Para isto escolhiam e preparavam adequadamente os locais ideais para suas cerimoniais religiosas.

A realização dos festivais celtas não se prendia somente à localização, também tinham muito a ver com a época do ano, com determinadas efemérides, por isto ocorriam em datas precisas, ocasiões em que as forças cósmicas mais facilmente interagiam com as forças telúricas.

Os celtas sabiam que a energia telúrica sofria reflexões e refrações ao tocar coisas materiais, tal como ensina o Feng Shui, por isto é que eles praticavam seus rituais religiosos totalmente despidos. Isto não tinha qualquer conotação erótica, era antes um modo da energia não ser impedida ou desviada pelas vestimentas.

Também tinham conhecimentos de como viver em harmonia com a terra, da importância de manterem a terra sadia. Assim sendo, evitavam mutilá-la, inutilmente, e sabiam, até mesmo, da importância de tratá-la. Tal como um acupunturista trata uma pessoa quando o fluxo de energia não está se processando de uma forma adequada, da mesma forma eles procediam com relação à “Mãe Terra”. Estabeleciam uma interação entre a energia a nível pessoal com a energia a nível planetário e também a nível sideral.

sábado, 21 de maio de 2011


As Ninfas

As Ninfas são espíritos da natureza-feminino e que habitam os lagos e riachos, bosques, florestas, prados e montanhas. Elas se apresentam como belas jovens na fase de adolescentes ou pré-adolescentes.

A palavra ninfa significa noiva, botão de rosa, velado dentre outras coisas.

Apesar de serem consideradas divindades subalternas, são divindades às quais na Antiguidade prestava-se grande devoção e homenagem, e até mesmo temor.

Apareciam muitas vezes como auxiliares de outras divindades, de ajudantes de certos deuses, ou mesmo de outras Ninfas de maior estatuto.

Elas também aparecem em lendas onde o amor é o motivo central ou então num papel de mulher de um herói.

Existem as Ninfas da terra ou do cultivo, das águas, as celestiais e também as Musas, filhas de Zeus e Mnemosine.

O espírito das Ninfas é alegre, jovial. São sentimentais e muito puras. Mas apesar de terem aparência frágil e delicada elas são capazes de enlouquecer aqueles para os quais se mostram. Como estão na fase do desenvolvimento da personalidade podem ser acometidas por um entusiasmo exagerado e passarem essa exaltação para as pessoas.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

 
Os Silfos

Os silfos são provenientes da mitologia grega. Os silfos são espíritos que vivem tanto no ar como na água. Na raça dos silfos encontramos os Wallotes, pertencentes ao sexo masculino e as Arienes, pertencentes ao sexo feminino. Embora apresentem sexos diferenciados, não se reproduzem, pois são compostos em sua totalidade de ar e luz.
Os silfos são responsáveis pela purificação do ar e por manterem a pressão atmosférica. Esse trabalho é percebido nas mudanças alquímicas do tempo e ciclos de fotossíntese e precipitação.
Esses seres são mestres, que expandem e contraem seus corpos de ar de níveis microcósmicos à macrocósmicos. Sempre mantendo a chama para o reino da mente, que corresponde ao plano ou corpo de ar.
Os silfos vivem centenas de anos, freqüentemente atingem um milênio de idade e nunca parecem envelhecer. A líder dos silfos é chamada Paralda e afirma-se que vive na mais alta montanha da Terra. Alguns acreditam que os Silfos se reúnem em torno da mente de um sonhador, dos artistas, dos poetas, e os inspiram com seu conhecimento íntimo das maravilhas e obras da natureza. Seu temperamento é alegre, mutável e excêntrico. Os silfos nos ajudam a conservar e desenvolver corpo e mente e estimulam a inspiração e a criatividade. Trabalham também para elevar nossos pensamentos e inteligência, equilibrando o uso conjunto das faculdades racionais e intuitivas.
Estes elementais reinam no ar, nos ventos, sendo os que mais se assemelham aos anjos. Têm uma capacidade intelectual sensível, chegando a favorecer o homem na sua imaginação. São reconhecidamente belos, assumindo vários tons de violeta e de rosa. As lendas contam que são os sílfos que modelam as nuvens com suas brincadeiras, para embelezar o dia-a-dia do homem na Terra.

INVOCAÇÃO AOS SILFOS 

Eu vos saúdo, Silfos 
Que constituís a representação do ar e dos ventos, 
Portadores das mensagens para toda a terra, 
Eu deposito em vós a minha confiança, 
Pois meus pensamentos, são sempre positivos, 
Voltados para o amor de todas as coisas existentes. 
Fazei de mim a imagem do esplendor da luz. 
Fazei deste pensamento, meu milagre! 
Mestres do ar, Eu vos saúdo, fraternamente. 
Que assim seja assim se faça.

sexta-feira, 13 de maio de 2011


Os Magos

Ao contrário do que muitos pensam, um mago não é alguém que nasceu dotado de poderes fantásticos, mas sim um estudioso. Qualquer um que tenha a paciência e persistência necessárias pode se tornar um bom mago. A vontade e a inteligência nesse ponto contam mais do que a aptidão natural para a arte.
São especialistas em canalizar as energias místicas que envolvem o mundo e obter os resultados desejados por meio da queima de reagentes. Mas para isso também existe todo um ritual de palavras e movimentos a serem executados, e para isso é importante que o mago tenha as mãos livres e possa falar, e não seja interrompido. Não perdem seu tempo praticando a luta armada, sendo que uma espada ou machado, mesmo estando em suas bainhas, podem atrapalhar o feiticeiro. A exceção à regra são cajados e armas simples de madeira, que permitem que a energia seja canalizada através destes, para obtenção dos mesmos efeitos.
Um mago pode variar bastante entre um velho e sábio feiticeiro até um jovem imprudente que resolveu trilhar seu caminho pela magia. O treinamento de um mago leva anos, e por isso é necessária muita paciência e vontade. Apesar disso não são, de fato, especialistas em uma arte, pois possuem uma maleabilidade muito grande. Podem curar e fortalecer seus aliados como um clérigo, atacar e se transformar como um druida ou mesmo enfraquecer adversários e invocar criaturas como um necromante, mas nunca se aprofundam demais nessas artes.
A trilha de um mago é dificílima, mas como eles mesmos gostam de dizer: quanto mais difícil o caminho, mais generosa será a chegada.


ORAÇÃO DE PROTEÇÃO

Noites estreladas e
dia brilhante,
nos proteja e abençoe,
Aqui estamos neste espaço.
Que aqueles que amamos
reúnam-se em força,
E unifiquem em tempos de conflitos.
Apelamos ao Cosmos do qual fazemos parte,
Que possamos fluir com você
e fazer de cada dia um começo.
Ventos da noite,
Soprem suavemente em todos nós.
Águas do mar,
Permita-nos banhar
na sua cura profunda.
Fogos da terra,
Nos aqueçam, sem danos.
Traga energia e não
desastre.
Terra sob nossos pés,
Mantenha-se sólida e verdadeira,
À medida que caminhamos pela vida.
Que possamos ter concedida
As bênçãos da longa vida.
Que os céus sorriam acima de nós,
Todos os dias.
Que a sabedoria dos antigos,
Visite-nos em nossos sonhos,
E preencha o nosso tempo de vigília.
Pela força do urso,
Que haja força em nossas ações.
Pela visão do falcão,
Que a nossa visão seja sempre afiada
Pela graça do gato,
Que nossos corpos e
espíritos sejam ágeis.
Está concedido,
Assim seja

domingo, 8 de maio de 2011



FADAS, ELFOS E DUENDES. 
ELEMENTAIS PROTETORES.


No Reino Invisível é notório que Elementais possuem diversas Missões, sempre em benefício da Preservação de nosso Planeta.

As Fadas, Elfos e Duendes, entre outras atribuições Divinas formam um laborioso Grupo Etéreo de proteção as Verdejantes Relvas.

AS FADAS DAS RELVAS

As Fadas sobrevoam as Relvas, lançando salutares e revigorantes energias sobre as Plantas. É comum em meio a esta tarefa dançarem em graciosos círculos, sempre comandadas por uma Entidade Superior de seu Reino como um Deva.

Estas Fadas de pequena estatura (entre 6 a 10 cm), pertencem a uma singular espécie. Sua aparência como das demais Fadas é Feminina, contudo apresentam um claro diferencial; suas Asas são de formato Oval.

OS ELFOS DAS RELVAS

Os Elfos que auxiliam Fadas e Duendes no Crescimento e Preservação das Relvas, geralmente possuem de 7 a 10 cm de altura. Seus pés e mãos são desproporcionais ao restante de seu corpo. As pernas são muito finas, as orelhas levantadas assemelham-se ao aspecto de uma Pêra, com a parte superior pontuda. O nariz é igualmente fino e longo.

No interior de suas bocas não encontram-se dentes ou línguas. A boca é grande porém delicada com textura similar a gelatina.

Neste trabalho de Proteção as Relvas, os Elfos apreciam mais a companhia das Fadas. Pois os Duendes costumam trabalhar, mesmo numa missão conjunta a outros Elementais, isolados próximos de suas Aldeias, abaixo da terra.

A satisfação de estarem junto as Fadas estimula por demais aos alegres Elfos. Eles começam a brilhar em uma tonalidade esverdeada muito parecida com a da própria Relva.

O conjunto é belíssimo de ser admirado por olhos bem treinados. Elfos e Fadas sobrevoam com suavidade as Relvas nutrindo toda parte aérea das Plantas.

Elfos vivem sempre em grupos, portanto é facil visualizar nestas ocasiões suas Auras entrelaçarem-se as de seus Companheiros ou as das Fadas.
Ou seja, os pequeninos Elfos estão interligados à Vida Celular das Relvas e de outras Plantas. Desta maneira, colaboram para a formação física e saudável das mesmas junto as Fadas.

OS DUENDES DAS RELVAS

Os Duendes preferencialmente costumam vestir trajes medievais, não sendo relevante a época em que os enxerguemos. Lhes agrada por demais casacos marrons com vistosos botões, uma bela gola ornamental, botas resistentes ou sapatos longos.

Suas cabeças são cobertas por Barretes pontudos ou Chapéus com abas. Seu aspecto contudo pode variar ligeiramente conforme a Região que habitarem. Alguns são pequeninos e rechonchudos, outros já são bem mais altos (no máximo até uns 15 cm) e esguios.

Quando trabalham junto a Fadas e Elfos p/o Crescimento e Preservação das Relvas, unem suas energias a de seus companheiros Etéreos. Mas para isso isolam-se poucos pés abaixo da terra, nutrindo as Raízes Vegetais e Rochas. Nas Rochas normalmente estão sitiadas suas Aldeias. E nas Aldeias de Duendes as Figuras Femininas não costumam entrar.

Os Duendes são excelentes observadores do Ser Humano. E procuram imitá-lo em diversas atividades. Com o poder de transmutar suas "formas-pensamento" facilmente conseguem por exemplo, copiar algum traje Humano que lhes agrade.

sexta-feira, 6 de maio de 2011


Mandala

A Mandala é um símbolo universal e essencial, de integração harmônica e de transformação. Simboliza a unidade, a totalidade da psique ou self, de que fazem parte tanto o consciente, quanto o inconsciente.Mandala é uma palavra em sânscrito que significa "círculo". Seu desenho utiliza o círculo, símbolo do Cosmo na sua totalidade, eo quadrado, símbolo da Terra ou do mundo construído pelo homem. São formas que representam a harmonia do Cosmo e a Energia Divina e durante milênios, foram usados ritualisticamente.São em essência, um veículo para concentra a mente e chegar a outros níveis de consciência. Sua pratica é um legado que vem do Oriente.
Meditar com Mandala permite que você se abra para a criatividade e facilita o desenvolvimento pessoal e espiritual. A Mandala pessoal vem a ser essencialmente o "espelho da alma", o código pessoal, a viagem interna, auto-conhecimento, busca do equilíbrio, integração com o Universo, experiência mística, representação do Eu, a história da vida.

domingo, 1 de maio de 2011


Fada Madrinha De Maio
FADA: ANNA

É uma fada-rainha dos ciganos húngaros. 
Ela é descrita como uma mulher muito bela e de escuros olhos e pele negra.
 Habita um recôndito e oculto castelo, onde guarda grandes riquezas. 
Essa fada nos presenteia com muita prosperidade e sucesso profissional.

RITUAL PARA ANNA: para esse ritual, você precisará de uma pedra, uma vela vermelha e um galho de árvore grosso de uns 25 cm, mas que você encontrar caído no chão.

Acenda a vela e observe a chama queimando por alguns instantes, depois pegue o galho e talhe nele as palavras: SUCESSO, DINHEIRO, ou aquilo que se dispõe a conseguir de bem material.

Agora apanhe a vela e cubra a pequena pedra e as palavras que escreveu no galho com cera quente.

Volte o restante de vela a um pires e deixe terminar de queimar.

Experimente então, a fronteira da consciência e medite seu pedido enquanto derramou a cera quente (elemento fogo) nos objetos que representam a terra.

Para encerrar o ritual, enterre o galho e a pedra.