sexta-feira, 29 de julho de 2011



OS ESSÊNIOS

O nome Essênios deriva da palavra egípcia Kashai, que significa "secreto". Na língua grega, o termo utilizado é "therepeutes", originário da palavra Síria "asaya", que significa médico.

A organização nasceu no Egito nos anos que precedem o Faraó Akhenathon, o grande fundador da primeira religião monoteísta, sendo difundida em diferentes partes do mundo, inclusive em Qumran. Nos escritos dos Rosacruzes, os Essênios são considerados como uma ramificação da "Grande Fraternidade Branca".

Segundo estudiosos, foram nesse meio onde passou Jesus, no período que corresponde entre seus 13 e 30 anos. Alguns estudiosos também acreditam que a Igreja Católica procura manter silêncio acerca dos essênios, tentando ocultar que receberam desta seita muitas influências.

Para medir o tempo, os Essênios utilizavam um calendário diferenciado, baseado no Sol. Ao contrário do utilizado na época, que consistia de 354 dias, seu calendário continha 364 dias que eram divididos em 52 semanas permitindo que cada estação do ano fosse dividida em 13 semanas e mais um dia, unindo cada uma delas. Consideravam seu calendário sintonizado com a "Lei da Grande Luz do Céu". Seu ritmo contínuo significava ainda que o primeiro dia do ano e de cada estação sempre caía no mesmo dia da semana, quarta-feira, já que de acordo com o Gênesis foi ao quarto dia que a Lua e o Sol foram criados.

Segundo os Manuais de Disciplina dos Essênios dos Manuscritos do Mar Morto, os essênios eram realmente originários do Egito, e durante a dominação do Império Selêucida, em 170 A.C. formaram um pequeno grupo de judeus, que abandonou as cidades e rumou para o deserto, passando a viver às margens do Mar Morto, e cujas colônias estendiam-se até o vale do Nilo.

No meio da corrupção que imperava, os essênios conservavam a tradição dos profetas e o segredo da Pura Doutrina. De costumes irrepreensíveis, moralidade exemplar, pacífica e de boa fé, dedicava-se ao estudo espiritualista, à contemplação e à caridade, longe do materialismo avassalador. Os essênios suportavam com admirável estoicismo os maiores sacrifícios para não violar o menor preceito religioso. Procuravam servir a Deus, auxiliando o próximo, sem imolações no altar e sem cultuar imagens. Eram livres, trabalhavam em comunidade, vivendo do que produziam.

Os Essênios não tinham criados, pois acreditavam que todo homem e mulher eram um ser livre. Tornaram-se famosos pelo conhecimento e uso das ervas, entregando-se abertamente ao exercício da medicina ocultista. Não era possível encontrar entre eles açougueiros ou fabricantes de armas, mas sim grande quantidade de mestres, escribas, instrutores, que através do ensino passavam de forma sutil os pensamentos da seita aos leigos.

Em seus ensinos, seguindo o método das Escolas Iniciáticas, submetiam os discípulos a rituais de Iniciação, conforme adquiriam conhecimentos e passavam para graus mais avançados. Mostravam então, tanto na teoria quanto na prática, as Leis Superiores do Universo e da Vida, tristemente esquecidas na ocasião. Alguns dizem que eles preparavam a vinda do Messias.

Era uma seita aberta aos necessitados e desamparados, mantendo assim inúmeras atividades onde a acolhida, o tratamento de doentes e a instrução dos jovens eram as faces externa de seus objetivos. Não há nenhum documento que comprove a estada essênia de Jesus, no entanto seus atos são típicos de quem foi iniciado nesta seita. A missão dos seguidores do Mestre Verdadeiro foi a de difundir a vinda de um Messias e nisto contribuíram para a chegada de Jesus.


ORAÇÕES MÁGICAS DOS ESSÊNIOS

Oração para a manhã de Sábado
– Comunhão com a Mãe Terrenal.
Em voz alta, diga: A Mãe Terrenal e eu somos um. Ela dá o alimento da Vida a todo o meu corpo!

Depois concentre-se e medite sobre a força dos frutos..., grãos... e plantas que cobrem o planeta.
Sinta as emanações terrestres fluindo até você e fortalecendo o metabolismo de seu corpo.


Oração para a manhã de Domingo
– Comunhão com o Anjo da Terra.
Em voz alta, diga: Anjo da Terra, abençoa meus órgãos reprodutores e regenera todo o meu corpo!

Então, concentre-se e medite sobre a força do crescimento das plantas... e o poder germinativo das sementes.
Sinta o fluxo do Anjo da Terra transformando a sua energia sexual em força regenerativa.


Oração para a manhã de Segunda-feira
– Comunhão com o Anjo da Vida.
Em voz alta, diga: Anjo da Vida, abençoa meus membros e fortalece todo o meu corpo!

Medite a respeito das árvores... e florestas.
Sinta o seu corpo absorvendo a Força Vital que irradia da natureza.


Oração para a manhã de Terça-feira
– Comunhão com o anjo da Felicidade.
Em voz alta, diga: Anjo da Felicidade, desce até a Terra e confere a Beleza a todas as coisas!

Então, medite na cor do poente..., no aroma de uma flor... ou no canto de um pássaro.
Saboreie essas sensações, recebendo as vibrações da Beleza.


Oração para a manhã de Quarta-feira
– Comunhão com o anjo do Sol.
Em voz alta, diga: Anjo do Sol, abençoa o meu centro solar e comunica o fogo da Vida a todo o meu corpo!

Em seguida, medite no Sol... e em seus raios dourados.
Sinta os raios solares penetrando pelo seu peito e sendo enviados por todo o seu organismo.


Oração para a manhã de Quinta-feira
– Comunhão com o Anjo da Água.
Em voz alta, diga: Anjo da Água, abençoa o meu sangue e concede a Água da Vida a todo o meu corpo!

Depois, medite nas águas dos mares... rios... e lagos.
Sinta as correntes da água da Vida penetrando em sua corrente sangüínea.


Oração para a manhã de Sexta-feira
– Comunhão com o anjo do Ar.
Em voz alta, diga: Anjo do Ar, abençoa os meus pulmões e insufla o Ar da Vida a todo o meu corpo!

Depois, medite no ar puro das montanhas... e vales.
Sinta o Ar da Vida invadindo seus pulmões!

quinta-feira, 28 de julho de 2011


As fadas

A própria definição do que é um fada é tão fugidia quanto as suas aparições. O folclorista Joseph Ritson, na sua dissertação On Faries, define fadas como uma espécie de seres parcialmente materiais, parcialmente espirituais, com o poder de mudarem a sua aparência e de, conforme a sua vontade, serem visíveis ou invisíveis para os seres humanos. Já Jorge Luís Borges e Margarita Guerrero em O Livros dos Seres Imaginários dá a seguinte descrição: "Seu nome se vincula ao vocábulo latino fatum (fado, destino). Intervêm magicamente no que sucede aos homens. Já foi dito que as fadas são as mais numerosas, as mais belas e as mais memoráveis das divindades menores. Não estão limitadas a uma única região ou a uma única época. Os antigos gregos, os esquimós e os pele-vermelhas narram histórias de heróis que alcançaram o amor dessas fantásticas criaturas. Tais aventuras são perigosas; a fada, uma vez satisfeita sua paixão, pode matar seus amantes. Na Irlanda e na Escócia atribuem-lhes moradas subterrâneas, onde confinam crianças e os homens que costumam seqüestrar. O povo crê que elas possuíam as pontas de flechas neolíticas que desenterraram nos campos e as quais dotam de infalíveis virtudes medicinais. As fadas gostam da cor verde, do canto e da música."

quarta-feira, 27 de julho de 2011

 


Incenso e sua Magia

Incenso e sua Magia, elimina as energias negativas.
O incenso elimina as energias negativas do ambiente e também ajuda na meditação , no relaxamento e até no físico.
Tem a incumbência de levar a prece aos Deuses.
Seu uso é universal, associando o homem à divindade, o finito ao infinito, o mortal ao imortal. Relacionado ao elemento Ar, representa a percepção da consciência que (no ar) está presente em toda parte.
Os incensos devem sempre ser acendidos com fósforos, por ser natural, nunca apagados com um sopro, para que não seja passado para ele as impurezas do nosso corpo.
Os incensos devem ser acesos para energizar e transmutar as energias aonde se encontram. Funcionam como purificadores e condutores de vibrações, sejam das pessoas ou dos locais.



Histórico do Incenso

Egípcios - são, talvez, os mais antigos na arte da manufatura e do uso de incensos. O mais famoso incenso egípcio é o Kyphi (ou Khyphi), que era produzido dentro de um templo e sob ritual altamente secreto. Era um composto de efeito muito benéfico, e Plutarco o definia como: "O incenso tem dezesseis (16) ingredientes, número que constitui o quadrado de um quadrado e tais ingredientes são coisas que, à noite, deliciam. Tem o poder de adormecer as pessoas, iluminar os sonhos e relaxar as tensões diárias, trazendo a calma e quietude àqueles que o respiram."

Um dos seus ingredientes é o popular olíbano, árvore considerada sagrada, e durante a poda ou a coleta da resina, os homens deviam se abster de contato sexual ou com a morte.

Plutarco forneceu a lista dos 16 ingredientes usados na preparação desse incenso: mel, vinho, passas, junco doce, resina, mirra, olíbano, séseli, cálamo, betume, labaça, thryon, as duas espécies de arcouthelds, caramum e raiz de Íris.

Hindus - sempre foram apaixonados por aromas agradáveis e, a Índia (nos tempos antigos) sempre foi celebre por seus perfumes. A importação de incenso da Arábia foi uma das primeiras, mas outros materiais aromáticos também eram usados, como: benjoim, resinas, cânfora, sementes, raízes, flores secas e madeiras aromáticas. O sândalo era um dos itens mais populares da época. Esses materiais eram queimados em rituais públicos ou em casa.

Judaico- no Velho testamento encontram-se várias referências ao seu uso entre os judeus. Geralmente os pesquisadores concordam que a queima do incenso só foi introduzida no ritual judaico em torno do século VII a.C. o primeiro incenso era composto de poucos ingredientes: estoraque, onicha, gálbano e olíbano puro; e sua preparação era semelhante aos sacerdotes egípcios.

Grego - começou a ser difundido no século VIII a.C., vindo da Fenícia.

Budismo - começou a ser difundido por volta do século VII a.C.; e junto com os perfumes, constituía uma das sete oferendas sensoriais, que formam um dos sete estágios de adoração.

Romano - muito utilizado na Festa do Pastor, junto com ramos de oliveira, louros e ervas, assim com da mirra e açafrão.

Cristianismo - foram os que mais demoraram a adotar o incenso em seus ritos. Só após o século V, seu uso foi aumentando lentamente. Por volta do século XIV, tornou-se parte da Missa Solene e outros serviços.

Islamismo - não há referencia ao seu uso no sentido religioso, mas a tradição nos mostra que o seu perfume, pode ser usado como uma referencia aos mortos.

Outros cultos - é um acessório comum às cerimonias mágicas, para neutralizar as energias negativas, por exemplo, ou usado nos métodos de encantamentos. As letras do nome da pessoa para qual é feito o encantamento indicam qual o perfume necessário. Os materiais mais usados são: olíbano, benjoim, estoraque, sementes de coentro, aloés (babosa), entre outros.


sexta-feira, 22 de julho de 2011


Os Silfos...
Muito lindinhos...



Veja, nos marcadores, a minha primeira postagem sobre os Silfos...
Vc vai saber quem são eles...

segunda-feira, 18 de julho de 2011


Hoje eu gostaria de homenagear os nossos amiguinhos, 
Os Duendes...
Mostrando as suas lindas casas... 
Casas fofinhas e coloridas... Assim como eles...






sábado, 9 de julho de 2011


Dilia, A Fada da Lua

Dilia é uma fada que vive à noite. 
Curiosa, costuma sair do oco de sua árvore e visitar humanos nas noites de lua cheia. 
Dilia adora música. Por isso, às vezes assume a forma de uma jovem 
para divertir-se em festas e bailes. 
Quando deseja dançar, Dilia canaliza a força do luar e materializa-se 
tornando-se a mais encantadora das bailarinas. 
Todos os que a viram jamais esqueceram sua graça e elegância. 
Diz-se em vários países que fadas se comunicam por meio de um idioma próprio, 
incompreensivel para os adultos e perfeitamente familiar para as crianças. 
Assim, quando percebe que uma criança está assustada com a noite, 
Dilia sussurra suas estranhas canções nos ventos, 
e a criança escolhida começa a cantarolar melodias desconhecidas, 
palavras inexistentes em sua língua, 
que misteriosamente, lhe trazem alegria e bem-estar.

sexta-feira, 1 de julho de 2011


A Fada Madrinha de Julho
FADA: CLIODHNA

Cliodhna é uma fada de rara beleza e longos cabelos loiros 
que gosta de ajudar os enfermos e aliviar sua dor.
Ela possui três pássaros mágicos, 
os quais cantam nos sonhos dos doentes, fazendo-os melhorar.
Ela é a Rainha de Munster.

RITUAL:

Entre em alfa e visualize três pássaros dourados voando sobre você.
Escute o som de seu canto e depois peça saúde e proteção para você e toda a sua família.
Como oferenda jogue sementes de girassol ao ar livre para que os pássaros possam comê-las.