sexta-feira, 27 de maio de 2011


Os Celtas

Os celtas eram um povo antigo, de origem indo-européia. Entre os séc. V e III a.C, estabeleceram-se na Europa, especialmente nas Ilhas Britânicas.

Os celtas estiveram presentes em praticamente todo o continente europeu, que possui fragmentos de sua cultura. O seu habitat inicial era o sudoeste da Alemanha, Europa ocidental e central. Com o domínio da agricultura, tecnologia na cerâmica e no bronze, ao longo de séculos, eles invadiram França, Espanha, Tchecoslováquia, sul da Alemanha, Áustria e grã- Bretanha. A sua história se estendeu por cerca de dois mil anos (de 1800 a.C. até o final do século I d.C.). A partir de 660 a.C., invadiram a Península Ibérica e, até a metade de século II a.C., expandiram-se para Ucrânia, Grécia, Ásia Menor, Gália e grande parte da Itália.

Aquele povo nórdico mantinha uma vida simples se comparada com a do mundo civilizado atual, e primava pela utilização das forças telúricas em todos as suas atividades, expressas basicamente através de ritos divinatórios.

Consideravam a natureza como a expressão máxima da Deusa Mãe, cuja manifestação era a natureza, por isso na sociedade celta, embora não fosse matriarcal, a mulher era soberana no domínio das forças.

Na realidade, a corrente migratória atlante direcionada para a Europa Ocidental não primou pelo desenvolvimento tecnológico. Ela não deu prosseguimento, por exemplo, à utilização e ao desenvolvimento da ciência dos cristais como fonte de energia. Preferiram a utilização da energia inerente aos canais das forças telúricas mais simples.

Os celtas entendiam que a terra comporta-se como um autêntico ser vivo, que nela a energia flui tal como nos meridianos de acupuntura de uma pessoa. Eles sabiam bem como se utilizarem de meios de controlar essa energia em beneficio da vida, das colheitas e da saúde.

O grande desenvolvimento dos celtas foi no campo de como manipular a energia sem o envolvimento de tecnologia alguma, somente através da mente. Enquanto outros descendentes da Atlântida usaram instrumentos, os que migraram para o oeste europeu, dos quais bem tardiamente surgiu como civilização celta, usaram apenas pedras, na maioria das vezes sob a forma de dolmens ou de menires.

Geralmente pedras eram usadas como meios para o desvio e canalização de energia. As construções megalíticas eram condensadores e drenadores de energia telúrica. Com elas os descendentes da Atlântida criavam vórtices nos canais de força telúrica, desviando-a para múltiplos fins.

Os Celtas chegaram a ter pleno conhecimento de que as forças telúricas podiam ser controladas pela mente, que a energia mental interagia com outros campos de forças, e que a energia mental podia direcionar os canais, ou até mesmo gerar canais secundários de força. Sabiam o que era a energia sutil, e que podiam aumentá-la de uma forma significativa mediante certos rituais praticados em lugares especiais. Para isto escolhiam e preparavam adequadamente os locais ideais para suas cerimoniais religiosas.

A realização dos festivais celtas não se prendia somente à localização, também tinham muito a ver com a época do ano, com determinadas efemérides, por isto ocorriam em datas precisas, ocasiões em que as forças cósmicas mais facilmente interagiam com as forças telúricas.

Os celtas sabiam que a energia telúrica sofria reflexões e refrações ao tocar coisas materiais, tal como ensina o Feng Shui, por isto é que eles praticavam seus rituais religiosos totalmente despidos. Isto não tinha qualquer conotação erótica, era antes um modo da energia não ser impedida ou desviada pelas vestimentas.

Também tinham conhecimentos de como viver em harmonia com a terra, da importância de manterem a terra sadia. Assim sendo, evitavam mutilá-la, inutilmente, e sabiam, até mesmo, da importância de tratá-la. Tal como um acupunturista trata uma pessoa quando o fluxo de energia não está se processando de uma forma adequada, da mesma forma eles procediam com relação à “Mãe Terra”. Estabeleciam uma interação entre a energia a nível pessoal com a energia a nível planetário e também a nível sideral.

5 comentários:

  1. JACQUE..TD AQUI É MUITO LINDO, O BLOG, SEUS TEXTOS, SUAS MUSICAS...
    parabéns!!

    Bj

    Ma

    ResponderExcluir
  2. Oi Jacque, como vai querida?
    Tô aproveitando que consegui entar aqui pra te deixar um abraço e desejar um ótimo final de semana, com tudo de bom pra você.
    Espero que nossos blogs se recuperem logo e tudo volte ao normal.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  3. Amiga Jacqueline, gracias por compartir. En casi toda Europa hay restos de los Celtas.
    Tu imagen parece un ángel con sus alitas dirigidas a la Tierra, y la música es exquisita. Gracias por la imagen y la música que compartes. Jecego.

    ResponderExcluir
  4. Oi Jacque, como vai querida?
    Espero que já esteja um pouco melhor e que o que te desanimou estes dias já esteja superado. Não deixa a danada da depressão se alojar no seu coração não tá, a vida dá uns cacetes na gente, mas a gente se levanta e bola pra frente...
    Um grande abraço e se precisar é só me gritar..rsrrsrsrsr
    Um abração cheio de luz pra você.

    ResponderExcluir
  5. Amiga encantada,tudo aqui tem magia,tudo tem enrgias, é bom estar aqui.
    Amiga no meu blog tem agradecimento aos amigos que me ajudaram a ganhar o 3 lugar no Ostra da Poesia.Quando for possivel passe lá.
    Muito obrigado amiga que a natureza esteja sempre do seu lado.
    Bjos.

    ResponderExcluir