domingo, 12 de junho de 2011



Dois monges que faziam uma peregrinação chegaram a margem de um rio.
Ali viram uma moça com trajes finos que não sabia como prosseguir, pois o rio estava alto e 
ela não queria estragar sua roupa.
Sem delongas, um dos monges pôs a moça nas costas, carregou-a até a outra margem e ali a 
deixou no chão seco.

Os dois monges continuaram seu caminho.
Depois de um tempo, o segundo monge disse:
- "É contra os mandamentos tocar uma mulher. Como pôde desobedecer às regras dos monges?"
[...] E se pôs a falar sem parar.

O monge que carregara a moça continuou a caminhar em silêncio, mas finalmente observou:
- "Eu a pus no chão da margem do rio. Mas você ainda a está carregando".

7 comentários:

  1. Jacque bela mensagem;...
    Quantas evzes ao invés de perdoar, ficamos carregando mágoa em nossos corações?

    Um Bj..feliz f=dias dos namorados!!
    Ma

    ResponderExcluir
  2. Oi amiga que lindo amei, muito delicado e romãntico bjs e um lindo domingo Leila

    ResponderExcluir
  3. As vezes carregamos bagagens extra e nem nos damos conta. Mais o bom é que sempre aparece um monge, uma fada, um amigo... Alguém que retira o excesso de peso das nossas costas.
    Beijos sábios.
    Lua.

    ResponderExcluir
  4. Amiga, el monje antes de ser "monje" fue hombre, y la memoria cuando aparece triunfa,
    Un abrazo por compartir.
    Jecego.

    ResponderExcluir
  5. Oi Jacque,
    ACHEI UM TEMPINHO NESTA CORRERIA TODA PRA VIM TE DAR UM Oi, É SÓ UM OIZINHO E UM FORTE ABRAÇO.
    ADOREI A ESTÓRIA, TEM GENTE QUE REMOI TANTO O ERRO DOS OUTROS QUE NÃO SE LIBERTA...É UMA PENA.
    BEIJOS MINHA AMIGA E TUDO DE BOM.

    ResponderExcluir
  6. Olá Jacque..cade você menina!!???
    Espero que esteja tudo bem contigo.
    Um abraço e uma excelente semana.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  7. Ah!!! Gostei disso! Que monge mais chato o que ficou falando sem parar (rsss).
    Beijocas.

    ResponderExcluir